“127 Hours”: a luta pela vida…

James Franco e Danny Boyle @ "127 Hours" *

Assisti ontem à ante-estreia de “127 Hours”, um filme do galardoado Danny Boyle e, tenho de confessar, que adorei. Admito que nem toda a gente vá gostar ou mesmo conseguir ver o filme até ao fim, tal é a dureza de algumas imagens e a estranheza do enredo. Dizem já que pode provocar efeitos físicos a quem o vê e, coincidência ou não, alguém se sentiu mal na sessão de ontem. Só não sei se o motivo para o desconforto tenha sido o mesmo.

James Franco @ '127 Hours' *

James Franco, que tem uma interpretação fabulosa, protagoniza a história do primeiro ao último minuto e leva consigo o espectador na luta titânica pela sobrevivência do seu Aron Ralston, que, depois de se ver encurralado num desfiladeiro no paraíso do Grand Canyon, com o braço preso sob uma pedra, usa de todo o seu conhecimento para se libertar de um pesadelo inimaginável, mas verídico. E ali ficamos colados à sua condição, perto de 90 minutos, uma situação que poderia provocar algum cansaço, não fosse a mestria do realizador Danny Boyle e do argumentista Simon Beaufoy, aliada à força da banda sonora do eclético A. R. Rahman.
A construção do filme é genial e temos a possibilidade de assistir, por entre o horror claustrofóbico da cena per si, a belos momentos de puro encantamento de um homem, que apesar de sozinho, consegue revisitar a sua vida e as pessoas que ama, ora consciente ou em alucinações, e perceber porque estava naquele inferno, tendo como principal objectivo a vontade de viver, a perseverança. O passar dos quase seis dias foram narrados para uma câmara de vídeo, o seu escape para a necessária sobriedade. As últimas cenas são visualmente duras, mas, pior do que isso, é imaginar que de facto tudo isto aconteceu MESMO! Podem ver o relato do próprio aqui.

Aron Ralston:” You know, I’ve been thinking. Everything is… just comes together. It’s me. I chose this. I chose all this. This rock… this rock has been waiting for me my entire life. It’s entire life, ever since it was a bit of meteorite a million, billion years ago. In space. It’s been waiting, to come here. Right, right here. I’ve been moving towards it my entire life. The minute I was born, every breath that I’ve taken, every action has been leading me to this crack on the out surface.”

* Fotos @ Rotten Tomatoes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s