Um Natal simples…

Chegou_o_natal

Motivação para hoje e para um fim-de-semana que se quer mais tranquilo…

Porque o AMOR é mais do que uma enunciação de palavras bonitas, ainda que seja maravilhoso escutá-las. O AMOR manifesta-se também por acções.

“Love Is A Verb” by  John Mayer


Das frases que (para muitos) fazem sentido, mas não para mim…

Não me considero diferente ou superior a ninguém quando falo de sentimentos, afectos e emoções. Mas sou alguém que faz por viver intensamente cada um deles. Sou feliz por ser assim, mesmo sabendo que a probabilidade de sofrer se torna inevitavelmente mais elevada. Mas não iria conseguir (nem saberia) viver de outra maneira. Não sei gostar ou amar pouco; não sei ajudar, acarinhar ou estar presente na vida de quem (me) merece, pela metade; não aceito não sentir (seja amor, tristeza ou angústia); não acredito que possamos ter muitos amigos, porque não haveria tempo (nem ‘espaço emocional’) suficiente para cada um deles; tento não ser imprudente nas escolhas que faço para o meu mundo de afectos, ainda que por vezes me engane, mas também tenho aprendido que são esses enganos que distinguem quem já mora nesse ‘meu mundo’; e não, não preciso de perder alguém para perceber o quanto ‘essas pessoas’ significam para mim. Porque eu sei isso, enquanto as tenho comigo, enquanto as ESTIMO, enquanto as AMO, sempre que lhes digo o que sinto por elas. Sem saber muito bem como, eu já sei a falta que me vão fazer, sem precisar de as perder. Resta a saudade, uma ‘companheira’ inevitável, do que ainda poderíamos viver e não nos foi possível.

A citação tem o seu valor, enquanto alerta para quem ainda não percebeu que é AGORA que se deve amar, sentir, dar, partilhar. Porque DEPOIS pode ser (muito) tarde.


Imagem @ One day, one movie [in ‘The curious case of Benjamin Button’]

A (querer muito) acreditar nisso…

… e a fazer tudo o que posso para que isso aconteça.
Mas não é fácil, nada fácil! 😦

*’Vais ficar bem, espera e verás.’ by Harold’s Planet

Para interiorizar #8

É imensa a minha dificuldade em aceitar que nem sempre controlamos o que nos acontece. É para mim uma luta (quase) diária, sobretudo agora que abracei de alma e coração este objectivo na minha vida… um dia de cada vez!  


Imagem @ Às 9 no meu blogue

Tinha tantas saudades de ouvir Rodrigo Leão ao vivo…

Rodrigo Leão voltou ontem ao Coliseu do Porto. E foi maravilhoso!!! Não dá para explicar o que sinto quando ouço as suas composições, mas, por vezes, tenho a sensação que as minhas emoções parecem ficar expostas, ganham forma e, de uma forma muito estranha, eu renovo a minha alma. 

Excelente alinhamento, excelentes convidados e a promessa de um trabalho discográfico com Scott Matthew, dono de uma voz portentosa, mas melancólica, tímida e bucólica… MARAVILHOSA. E foi com a voz deste senhor a ecoar na minha cabeça, que ontem saí do Coliseu.

“and there’s a path stained with tears
could you talk to quiet my fears
could you pull me aside
just to acknowledge that I’ve tried”

Cada vez mais o meu lema de vida…

*’Com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo…’

Ainda em relação ao último post e a propósito de deste vídeo que a ‘Tia Lili’ nos enviou (obrigada minha querida! ♥)…
Chamem-me ‘mãe-galinha’, ‘pirosa’, ‘relaxada’, mas adoro passar por aquela parede que o meu filho resolveu adornar e que não sei quando vou limpar. E sorrio, ai como sorrio!!! É certo que ele podia ter expandido a sua ‘arte’ num papel, mas tenho a certeza que para ele não seria a mesma coisa. Ele quis desenhar algo maior que ele, imagens que devem estar a percorrer a sua cabecinha, a todo o vapor, e que ele quer transpor para o mundo e observá-las de longe, em tamanho grande. Porque é esse mundo ‘grande’ que o tem vindo a acompanhar nesta sua ainda curta jornada de vida e é para esse mundo ‘grande’ que ele caminha em pequenos passos. Todos os dias percebo que os primeiros sinais de conquista desse mundo estão a despontar. E é maravilhoso!!!
Não pensemos que o crescimento das nossas crianças passa só pelo andar, falar e comer sozinhos. Há todo um outro mundo para explorar. Não quero ver as paredes cá de casa todas pintadas,  é certo, mas quero saber e ver o meu filho FELIZ! Com as palavras e os exemplos certos, acredito que a sua criatividade fluirá naturalmente. Não tenhamos ilusões, meus  amigos. Somos nós, os ‘grandes’, que vivemos no mundo dos adultos. O que importa é saber (e por vezes aprender a) deixá-los ser crianças!!!  🙂

♥♥♥ 

Imagem @ Pinterest

* um verso de ‘Aguarela’ de Toquinho e Vinicius, um tema lindo, que eu simplesmente ADORO!!!

Acho que o meu filho descobriu a sua arte…

Descobriu também os ‘pápis’ (vulgo lápis) e as paredes lá de casa. 🙂
Mesmo na parede do hall de entrada.
Olhos de mãe vêem um coração e isso já é o suficiente para sorrir, enquanto olha para a ‘pintura abstracta’ e pensa como lhe vai custar apagar a sua primeira obra de arte. 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A vida (simplesmente) acontece…

O Rodrigo fez ontem dois anos. ♥ ♥ 

A festa poderia ter sido grande: com balões, decorações e presentes com grandes laços…
À porta poderia estar um cartaz a dizer ‘Bem-vindos à minha festa’
A mesa poderia estar meticulosamente decorada e carregadinha de doces e guloseimas…
As corridas dos mais pequeninos pela casa seriam mais que certas e as conversas dos adultos ouvir-se-iam na rua…
A casa poderia estar cheia de gente que amamos e que nos ama…
Os sorrisos e os abraços seriam mais que muitos…

Este seria o ambiente previsto. Mas não foi assim que aconteceu…

A vida mostrou-me, uma vez mais, que nem tudo pode ser planeado e, no lugar de uma festa de aniversário elaborada, houve um bolo de laranja feito às pressas pela vovó (mas com muito amor), uma vela comprada pelo tio, um jantar simples após a ‘segunda despedida do bisa’ e a presença espontânea de algumas pessoas que são (d)a nossa vida. Isto sem esquecer as palavras lindas e miminhos que lhe enviaram. Sem que eu tivesse feito rigorosamente nada, o Rodrigo festejou o 2.º aniversário num ambiente de luz, alegria e amor. Aqui que ninguém nos ouve, eu senti que o ‘bisa’ esteve sempre ao nosso lado.

2.º aniv

Poderei fazer uma segunda festa (a tal elaborada), para celebrar o aniversário deste meu amor pequenino, mas nada substituirá a espontaneidade sincera que se viveu ontem, naquela que se tornou a festa principal do seu 2.º aniversário.

OBRIGADA! ♥♥