Das frases que (para muitos) fazem sentido, mas não para mim…

Não me considero diferente ou superior a ninguém quando falo de sentimentos, afectos e emoções. Mas sou alguém que faz por viver intensamente cada um deles. Sou feliz por ser assim, mesmo sabendo que a probabilidade de sofrer se torna inevitavelmente mais elevada. Mas não iria conseguir (nem saberia) viver de outra maneira. Não sei gostar ou amar pouco; não sei ajudar, acarinhar ou estar presente na vida de quem (me) merece, pela metade; não aceito não sentir (seja amor, tristeza ou angústia); não acredito que possamos ter muitos amigos, porque não haveria tempo (nem ‘espaço emocional’) suficiente para cada um deles; tento não ser imprudente nas escolhas que faço para o meu mundo de afectos, ainda que por vezes me engane, mas também tenho aprendido que são esses enganos que distinguem quem já mora nesse ‘meu mundo’; e não, não preciso de perder alguém para perceber o quanto ‘essas pessoas’ significam para mim. Porque eu sei isso, enquanto as tenho comigo, enquanto as ESTIMO, enquanto as AMO, sempre que lhes digo o que sinto por elas. Sem saber muito bem como, eu já sei a falta que me vão fazer, sem precisar de as perder. Resta a saudade, uma ‘companheira’ inevitável, do que ainda poderíamos viver e não nos foi possível.

A citação tem o seu valor, enquanto alerta para quem ainda não percebeu que é AGORA que se deve amar, sentir, dar, partilhar. Porque DEPOIS pode ser (muito) tarde.


Imagem @ One day, one movie [in ‘The curious case of Benjamin Button’]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s