‘Cansada’: dar voz aos gritos mudos das vítimas de violência doméstica


Vozes: Aldina Duarte | Ana Bacalhau | Cuca Roseta | Gisela João
Manuela Azevedo | Marta Hugon | Rita Redshoes | Selma Uamusse

‘Cansada’ – Rodrigo Guedes de Carvalho

Estou cansada –  ainda agora chorei tanto
Outra noite –  o terror andou à solta
Vai e volta e promete que não volta
Vai e volta e promete que não volta

Estou cansada  – chorei tanto outra vez 
Outra vez a pensar que hoje talvez
Haja paz –  que o terror só vai não volta
Que a tua mão não se fecha contra mim

Estou cansada – não há fim nesta demência
Ou ciência que preveja que me mates
E quem bate depois chora e promete
Que não mais a mão se levanta fechada

Estou cansada – acho que não quero nada
Que não seja uma noite descansada
Sem ter medo ou chorar na almofada
Sem pensar no amor como uma espada

Tão cansada de remar contra a maré
O amor não é andar a pé na noite escura
Sempre segura que a tortura me espera
Insegura tão desfeita humilhada

Tão cansada de não dar luta à matança
À dança negra que me dizes que é amor
Que não concebes a tua vida sem mim
E que isto assim é normal numa paixão

E eu cansada nem sequer digo que não
Já não consigo que uma palavra te trave
Não tenho nada que não seja só pavor
Talvez o amor me espere noutra estrada
Mas tão cansada não consigo procurá-la
Já tão sem força de tentar não ser escrava
Já sei que hoje fico suspensa outra vez
Outra vez a pensar que hoje talvez…

Não se consegue ficar indiferente a esta campanha da APAV! Bastou-me ouvir o tema uma única vez, para que a palavra ‘cansada’ ganhasse uma nova dimensão no meu ser e me obrigasse no futuro a repensar no seu uso, quando ousar dizer que ‘estou cansada’. Tão triste e tão duro o modo de (sobre)viver de tantas e tantas vítimas em Portugal!😦
Num registo quase cinematográfico, a fazer jus a uma notável peça musical, emergem as vozes de oito mulheres das sombras dos seus corpos, que se vislumbram ‘incompletos’ na penumbra. Mantêm-se sempre a meia luz, numa metáfora, certamente pensada, da história comum a muitas vítimas de violência doméstica. Mulheres que se escondem da luz do dia, da própria vida e (sobre)vivem num lusco-fusco sufocante de onde, por vezes, não sabem sair. As palavras são claras, genuínas e leais à dor de quem sofre, e em todas elas transpiram os gritos, por vezes mudos, de tantas mulheres que padecem deste tormento.
As cantoras protagonistas estão sublimes! Ainda assim, tenho de destacar Ana Bacalhau, que me deixou desconfortável – tão boa que é a sua interpretação – pela postura, pelo registo, pelo semblante sofrido. Chega a custar ver!
A ficha técnica (ver aqui) é igualmente soberba. Rodrigo Guedes de Carvalho criou a letra e a música do tema e juntou-se a outros elementos que vieram engrandecer a intenção de um hino que consciencialize um país para um problema que, por muito que ainda o queiram estereotipar, estende-se a todas as classe sociais. Um problema que é de todos, não só das vítimas. É de cada cidadão! Não podemos fechar os olhos, quando actos desumanos acontecem debaixo do nosso nariz!
Num país, onde a maior percentagem de casos de violência doméstica se concentra nas mulheres, era urgente voltar a falar no assunto. Convém, ainda assim , referir que esta calamidade atinge, em proporção inferior mas igualmente dolorosa, homens e que urge também falar do assunto.

Duas notas de rodapé (opinião pessoal, claro):
– Ana Bacalhau deveria tentar a representação.
– Rita Redshoes fica maravilhosa a cantar em português (apesar de achar que cada qual deve cantar na língua que entende).

2 pensamentos sobre “‘Cansada’: dar voz aos gritos mudos das vítimas de violência doméstica

  1. Oi Carla, como vai? Obrigada pelo comentário lá no blog. Acho que você está certíssima, “tudo acontece por alguma razão”. Li suas publicações e achei demais, e já tinha decidido comentar aqui, mandar uma mensagem para você. Mas, na correria, precisei sair e terminar alguns projetos. Então, deixei anotado: comentar no “Por outras Palavras”. Mas aí, olha só… vc comentou no meu blog… que loucura, sério! Bom, saiba que você já tem uma leitora assídua e sempre vou passar por aqui, para comentar, viu? Vc não tem ideia do quanto fiquei encantada com o seu texto, “O mundo aos olhos do meu filh♥…” lindo, lindo…

    Parabéns, pelos textos, por sua inteligência e sensibilidade….
    Vida longa ao Por outras Palavras!!!

    Bjos

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s