Não consigo pensar (e falar) em ti no passado…

2 meses sem ti…

E não há forma de me convencer que tu não estás cá, Amiga! 😦
Quando penso em ti (e penso tanto e tantas vezes) sinto durante segundos, ou fracções de segundo, uma fugaz alegria, que rapidamente se dissipa e se transforma num enorme vazio. Porque acho que te vou encontrar, se não pessoalmente, pelo menos do outro lado da linha. E estremeço! Estremeço sempre, como quando se acorda de um sonho mau. Porque não estás cá! A minha mente, racional e sem grande piedade, grita essa verdade que o coração tenta contrariar! 😦
Não ouço a tua voz. Não ouço a tua querida e hilariante ‘resmunguice’!
Não pomos a conversa em dia em diálogos simultâneos, que só nós compreendemos, tantas vezes interrompidos pela falta de tempo ou pelas macaquices, birras e pedidos dos nossos pequenos tesouros.

NÃO ESTÁS CÁ! Essa é a minha realidade. Esse é o meu presente do indicativo.
Estou a fazer com que o ‘teu’ ‘Carpe Diem’  me ajude a saber viver com a tua ausência! Se vai resultar? Não sei!

Adoro-te! ❤ Sempre, para sempre!

Importa viver, não sobreviver…

13551090_10201873739481004_126386382_n

Para quê complicar o que pode ser simples?


Excerto de “Where to invade next” de Michael Moore

Estamos tão longe deste modelo de ensino! Um modelo que me cativa e segundo o qual eu gostaria de educar o meu filho! Pena em Portugal serem poucas as instituições que se regem por alguns destes conceitos e directrizes. E vivesse eu perto de uma delas!
Não vou dissertar sobre este assunto, mas assumo que me deixa triste e sobretudo preocupada, que a maioria das nossas escolas não eduque crianças para serem felizes. Tal não é possível! Não com esta carga horária, não com a quantidade absurda de trabalhos de casa diária, que não lhes dá sequer tempo para serem crianças. Culpa das ‘metas curriculares’, explicam.

Este modelo de educação parece-vos uma utopia? Pois, mas já não é. Aqui têm um exemplo.

FB_IMG_1465937050070

‘Look at the stars,
Look how they shine for you,
And everything you do…’
[‘Yellow’ by Coldplay]

 

 

Hoje chamaram-me ‘raio de sol’

E o meu dia ganhou cor! ❤
Grata por todo o afecto que recebo! Agora sou eu que o retribuo!
giphy

Gif @ Facebook

‘Libera-me’ – Carlos Queiroz

Libera-me

Livrai-me, Senhor
De tudo o que for
Vazio de amor.

Que nunca me espere
Quem bem não me quer
(Homem ou mulher).

Livrai-me também
De quem me detém
E graça não tem.

E mais de quem não
Possui nem um grão
De imaginação.

Carlos Queiroz

Uma imagem, uma música… e a certeza que ‘amanhã é sempre longe demais’

Foto @ Facebook


‘Amanhã é sempre longe demais’ – Rádio Macau (1990)

O coração não me deixa escrever…

… talvez porque, nada do que eu possa dizer agora, serene a dor que o tomou de assalto.
Precisa de tempo.
Precisa de silêncio.
Precisa (voltar a) perceber que a palavra morte também existe, ainda que a queira esconder.

Saudades tuas, Amiga! ❤

 

Imagens da alma…

Grata pelas palavras, querida Sofia. Hoje, mais do que nunca! ❤


Imagem @ Às nove no meu blog

Sinais dos tempos #5

Vídeo aqui