Imagens da alma…

… e uma mensagem que nunca é demais lembrar.

António Feio [1954-2010]

Já tinha falado destas palavras aqui, mas hoje justifica-se a repetição, porque é a mais justa homenagem a António Feio, um ser humano que teve uma passagem belíssima por este mundo e que hoje tivemos de ver partir, para tristeza de todos. Precisamos mesmo de aprender a viver cada minuto da nossa vida, com a máxima intensidade, e um dia de cada vez.

Descansa em paz, António Feio!

António Feio apela à esperança…

O trailer do novo filme de Fernando Fragata“Contraluz”, deu o mote para um vídeo emotivo de António Feio, que, como sempre, sabe perpassar mensagens positivas e palavras de esperança, mesmo que tudo reme no sentido contrário.

A vida é demasiado preciosa para ser desperdiçada com pormenores desnecessários, que só nos enfraquecem.

Obrigada António!

“Aproveitem a vida e ajudem-se uns aos outros. Apreciem cada momento, agradeçam e não deixem nada por dizer, nada por fazer.”

António Feio

António Feio na “Grande Entrevista”

António Feio - Caricatura de José Pinheiro

António Feio – Caricatura de José Oliveira

                                                                       Foto @ antoniofeio.com

Nunca foi tão requisitado pelos meios de comunicação, como nos últimos meses, e tudo por culpa de um cancro que ele quer vencer com todas as suas forças. Tenho pena que seja necessário um “bicharoco” destes, para que se perceba que ele está bem perto, como sempre esteve. E têm sido tantos os motivos para ser agraciado, entrevistado, homenageado – basta ver o seu portfolio. Na verdade, a vida é mesmo assim… ou é na maior parte das vezes. Só damos valor ao que temos quando a possibilidade de as perder se afigura diante de nós. Ele próprio admite que só agora se apercebeu que também a sua vida passou rápido demais, que repara mais no que o rodeia, que deveria ter sentido e vivido mais as coisas. O tempo revelou-se de repente sem complacência e ele agora quer fintá-lo.

No programa Grande Entrevista desta semana reforçou que é um homem cheio de energia positiva, agarrado à esperança e à vida, mas, como diz Judite de Sousa, “com medo que o amanhã não seja amanhã”. Gostei muito de ver a conversa dos dois. Foi uma entrevista muito fluída e dinâmica, que não particularizou nem compartimentou temas, como é comum.  A jornalista cruzou vida pessoal e profissional, da mesma forma que elas vivem e convivem no dia-a-dia do actor. Recorre ao humor para contornar a dor, porque sabe-o fazer como ninguém e porque conhece as vantagens de saber rir do impensável. Aliás, da vantagem sobre a doença diz que “se pudesse dava-lhe cabo do canastro só com humor”. Nunca se sabe!

Este é António Feio!
Força!

Podem assistir à entrevista na íntegra aqui.