Da soma dos dias do meu AM♥R pequenino…

crescer

Filho, hoje completas mais um mês de vida (o chamado aniversário ‘pequenino’). Desde o dia do teu nascimento, o dia mais feliz da minha vida, que assim é. Não há como ficar indiferente à importância deste número a cada novo mês. Estás tão crescido, meu amor pequenino! O mundo nem se apercebe desta contagem e de como cresces velozmente, é certo. Ele limita-se simplesmente a girar e a girar, mesmo que tu estejas a crescer  ‘nele’. Claro que, de vez em quando, algumas pessoas do mundo perguntam a tua idade. E é aí que a mãe se perde. Não porque eu não saiba, ou porque te queira ter sempre pequenino. A verdade é que, se até aos dois anos achava perfeitamente normal saber-te pelos meses, agora dou por mim a fazer contas pelos dedos, não vá enganar-me. Perdoa a tua mãe, filho, mas nunca gostei de números e faço tudo para simplicar tudo que leve os mesmos. Para além disso, não consigo imaginar dizer a alguém que tens 30 meses, mesmo que seja essa a verdade. Soa-me a coisa estranha! Acho que preferia usar a terminologia da bisa Maria (que infelizmente nunca conheceste) e que certamente diria que ‘andas nos 3’, que também é a verdade e até tem alguma graça, não achas? Simboliza quase um processo de ‘amadurecimento’ para chegar ao número certo. 🙂

Adiante… Mais vale ser sincera e admitir que o que a mãe prefere em alguns casos são os arredondamentos e, honestamente, filho, para quem, como eu, não é grande apreciadora de números, de explicações estatísticas ou mesmo da exactidão da matemática, esta foi uma grande conquista da humanidade. Se eu gostasse de números, aí filho, eu não contaria apenas há quantos anos e meses completas o meu mundo. Eu atrever-me-ia a saber quantos dias ou horas tem a tua vida. Isso é que era!

Nem imaginas a quantidade de formas que existem para dizer a tua idade! 🙂 Vê só:

2 anos
2 anos e meio
2 anos e seis meses
30 meses
quase 3 anos (a que eu vou usar a partir de amanhã)
[Acho que vou pedir a alguém, que goste de números, para fazer a conta em dias. Fiquei curiosa. 😀 ]

Em contrapartida, filho, a mãe adora palavras. E gosto muito de as usar, sobretudo para falar de afectos. Para falar de ti e para ti. Elas ajudam facilmente a descrever o amor gigante e sem fim que tenho por ti e que cresce, a cada segundo, a uma velocidade estonteante, mas que não sei mais uma vez pôr por números. E neste ponto, filho, ninguém consegue ser melhor do que eu e encontrar o número certo. Nem imaginas como isso me faz feliz! Porque o que importa não se quantifica. E o que importa é o amor e a maneira como cresces e não quantos dias, meses ou anos cresceste. Um dia vais perceber que há muita gente (dita) crescida que parece ter ainda 30 meses ou qualquer coisa do género. Mas isso são outras contas… 😀

♥♥♥

Daqueles momentos que quero recordar, só porque sim…

compotademorango

Compota de morango…

Eu sei. Não é muito habitual ter posts sobre cozinha, receitas e afins aqui no estaminé. Mas hoje fiz compota pela primeira vez (nada de extraordinário também, bem sei), mas ficou tão bonita (e deliciosa) que não resisti partilhar. 🙂

Encontram a receita aqui.

Instantes de ♥ #1

carros

♥ 3 de Abril de um ano diferente ♥

3 de Abril! Hoje é dia de aniversário dos meus avós. Dos meus queridos avós maternos! Da Avó Alice e do Avô Carlos! Dos bisas do meu pequenino! ❤
Quis o universo (ou qualquer outra força que só pode ser muito bonita) que, para além de um amor, de uma vida e de uma família em comum, celebrassem o aniversário no mesmo dia, com uma diferença mínima de anos. E essa coincidência continua ainda hoje a deixar-me imensamente feliz!

avós

3 de Abril de um ano diferente! Pela primeira vez, em quase 60 anos, festejam este dia em locais diferentes, mas juntos no coração. A avó Alice vai ter junto dela todos os que puderem mimá-la o mais possível, com beijinhos, abracinhos, sorrisos (uns mais rasgasdos, outros ainda molhados), tropelias dos mais pequeninos, um ‘abacho’ do bisneto mais novo e algo docinho para serenar o coração na hora dos parabéns; o avô Carlos está num sítio especial há perto de 5 meses, num local em que as festas serão certamente surpresa,em que aparecerão amigos de longa data, familiares que o vão rever e novos amigos que entretanto já fez. É quase certo que, mesmo lá em cima, ele ficará muito contente. Perceber-se-á isso pelo sorriso singelo e pelo brilho dos seus olhos pequeninos. Irá dizer de certeza que não queria dar trabalho, nem ao mais descansado dos anjos. É assim o meu avô. 🙂

Hoje, no dia 3 de Abril de um ano diferente, celebra-se o aniversário dos meus avós queridos! Nada será como dantes, mas depende de nós fazer com que a memória deste sorrisos se mantenha para sempre! ❤

♥Dia do Pai e ‘um abacho’

Olá pai! ‘Ké um abacho’ (quero um abraço)!
Estas são para já as palavras de grande amor e cumplicidade que o nosso mais pequenino usa para saudar o Pai, assim que o vê (seja quando acorda ou quando o vê chegar do trabalho). Hoje, para além das palavras, recebeu-o com um ‘coaxão bimelho’ (coração vermelho) que eu ajudei a decorar, tal como aconteceu com a pintura das enormes letras do Homem da sua vida! Hoje celebrou-se assim o dia do pai do nosso pequenino e, embora eu não dê grande importância a estes datas, quero que ele um dia saiba que tem memórias destes dias e que os afectos se fazem tanto com palavras como com pequenos gestos. Como o de hoje! ❤

dia do paiII

Adoro esta amizade do meu amor pequenino…

livros_amigos

‘E eu não preciso de ti. E tu também não precisas de mim. (…) Mas, se tu me cativares, passamos a precisar um do outro. Passas a ser único no mundo para mim. E eu também passo a a ser única no mundo para ti.’

in 'O Principezinho' de Antoine de Saint-Exupéry

O primeiro projecto (familiar) DIY…

É verdade que o ‘Natal é quando um Homem quiser’, mas, neste caso, parte da culpa desta partilha tardia é das viroses que resolveram ‘assentar arraiais’ por cá e tomar conta do pouco tempo que tínhamos. Ainda assim, apresento-vos A NOSSA ÁRVORE DE NATAL, toda DIY. Um orgulho! A partir de algumas imagens do Pinterest, uns pedaços de paletes de madeira, sprays de diferentes cores, imagens de enfeites natalícios impressos, cortados e pintados (claro que o marido fez a maior parte, é certo), muito amor, carinho e dedicação, uma imensa vontade de fazer algo diferente em termos de decoração natalícia e, sobretudo, a intenção de construir algo juntos, que incluísse o nosso pequenino, trouxe-nos a este resultado. Voilá!

Árvore de Natal'13 - DIY

Acho que o meu filho descobriu a sua arte…

Descobriu também os ‘pápis’ (vulgo lápis) e as paredes lá de casa. 🙂
Mesmo na parede do hall de entrada.
Olhos de mãe vêem um coração e isso já é o suficiente para sorrir, enquanto olha para a ‘pintura abstracta’ e pensa como lhe vai custar apagar a sua primeira obra de arte. 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

★ Avô Carlos ★

Os últimos dias foram difíceis e tristes, marcados por uma perda muito grande. O meu avô deixou-nos… e o meu mundo ficou mais pobre. 😦
Ainda não consigo ‘significar’ esta minha dor de alma, o aperto no coração, aceitar o vazio e o facto de ‘já não o ter’ aqui, bem perto. Acalma-me e aquece o meu coração e o meu pensamento saber que fiz tudo para que o meu avô Carlos estivesse sempre connosco, que fizesse parte da minha (nossa) vida e foi um privilégio ter sentido a sua presença sempre calma e educada, o sorriso aberto, a emoção fácil de quem valoriza os afectos e, sobretudo, a imagem da sua imensa alegria de nos rever. Momentos lindos!!!

Estará sempre no meu !!! Descanse em paz, meu avô lindo e ‘bisa’ do meu pequenino, que tanto gosta de si! Um dia irei contar-lhe todas as vossas histórias destes dois bonitos anos juntos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA