Importa viver, não sobreviver…

13551090_10201873739481004_126386382_n

O mundo aos olhos do meu filh♥…

À janela ao anoitecer

’Já viste a lua, mamã? Está enorme, redonda e brilhante!’
Não pude deixar de sorrir! Desde pequenino que ele tem um fascínio pela lua. ❤
‘É muito bonita, filho! Chama-se lua cheia!’
‘Mas ela costuma estar comida. Porque é que ela não está comida?’

Meus queridos, deixei esta pergunta para o pai. 😀 Amanhã vou tentar perceber o que ficou o mais pequeno a saber sobre as fases da lua.

 

 

O mundo aos olhos do meu filh♥…

*Na bricolage e na jardinagem com o pai”

‘Estou a fazer um trabalho muito importante com o papá!’, diz o meu pequeno todo entusiasmado!
‘Ai sim? Posso saber o que estão a fazer?’
‘É simples, mamã! Sabes que há coisas que se estragam, como os carrinhos, as ferramentas do papá e outras coisas? Não as podemos deitar ao lixo.’
‘Ai não?!’,
pergunto com o olhar mais admirado do mundo!
‘Nem pensar! Essas coisas vão para a ‘*riquecelagem’, mamã!’
‘Ah! Como fazemos lá dentro ao papel, ao plástico e ao vidro?’
‘Sim, mamã! Isso mesmo! E depois transformam-se noutras coisas.’

Isto prova que a maioria dos comportamentos dos mais pequenos passa pela observação das nossas acções e, como sempre fizemos separação do lixo cá em casa, o Rodrigo já se habituou à dinâmica. Já é ele que coloca o ‘seu lixo’ no respectivo local. Que depois segue para a ‘riquecelagem’!!! 😀

* Claro que o corrigi! Mas, cá para nós, tenho de admitir que adoro a forma como esta palavra ganha vida naquela voz pequenina! ❤

 

O mundo aos olhos do meu filh♥…

*No caminho para a escola

[Alguma confusão nas ruas devido a obras e a carros mal-estacionados, que atrapalham imenso o trânsito. A perceber a minha dificuldade em entrar na via principal, um senhor muito simpático ajuda-me.]

’O que disse o senhor, mamã?’, pergunta curioso.
‘O senhor não falou, Rodrigo! Disse só para eu avançar.’
‘Então se disse, falou! Não é assim?’
Bem-visto, realmente! E explico:
‘O senhor ‘falou’ com gestos e, mesmo sem falar, a mamã percebeu! 
Por exemplo, quando olho para ti e abro os braços, tu percebes logo que te estou a pedir um abraço, não é?’
’Ah, já percebi, mamã!’

Nem um minuto depois, pergunta:
‘Como se chama o senhor, mamã?’
‘Não sei, filho! Não o conheço.’
‘’Deve ser o Senhor Silêncio!’, responde com toda a convicção!

Estas associações são uma delícia, só vos digo!

 

 

O mundo aos olhos do meu filh♥…

*No nosso escritório/lavandaria, enquanto brincava com os legos.

’Rodrigo, vou fazer um telefonema. Podes tentar não fazer barulho, por favor?’
‘Para quem vais ligar, mamã?’, pergunta curioso.
‘Para uma pessoa, que é amiga da mamã.’
‘Como se chama, mamã?’
‘Chama-se ‘Céu’!’
Fica de olhos arregalados por breves segundos e vem ter comigo a correr.
‘Vais ligar para o céu, mamã?!’

Ainda sorri e de coração apertado fiquei a pensar como isso me faria tão feliz. A inocência das crianças tem imensos poderes! Pena a nossa incapacidade em permanecermos nesse mundo de fantasia por algum tempo.

Gostava tanto, mas tanto, meu amor pequenino, que isso fosse possível! ❤

O mundo aos olhos do meu filh♥…

Enquanto conversávamos, antes de dormir. (algo que aconteceu no início do ano lectivo, mas que só agora resolvi partilhar)

Resolvi falar com o Rodrigo sobre uma pessoa, com quem ele convive diariamente, e que tem uma paralisia muscular (que afecta sobretudo uma das mãos).
‘Já conheceste a C., Rodrigo?’
‘Sim, mamã! É muito simpática!’

Aproveito e pergunto:
‘Como são as mãos da C.?’ (explico já a minha intenção)
‘São cor de pele! Como as minhas, mamã!’

Dei-lhe um enorme abraço e o assunto terminou aqui, até porque a conversa poderia ter o efeito inverso, algo que eu não queria.

Se soubessem como esta resposta me deixou feliz! ❤
Perceber que o meu filho tem contacto, desde cedo, com algumas das realidades ditas ‘diferentes’, daquelas que a sociedade instituiu como normais e constatar que ele reage e parece, para já, aceitar todos os indivíduos com a mesma estima, amizade e amabilidade deixa-me muito, muito orgulhosa!
❤ ❤ ❤

O mundo aos olhos do meu filh♥…

À saída da escola.

’Sabes, mamã, perguntei à professora se gostava das minha botas novas.’**
Hoje de manhã foi o assunto principal. Até contou à madrinha pelo telemóvel! 
‘Ai sim? E qual foi a resposta? Perguntei, já a antecipar a vaidade que para ali ia.
‘Ela disse que eram muito giras!’
‘Ficaste feliz?
‘Sim, fiquei. Eu acho que as minha botas são giras, mas são também muito chiques!’
‘Chiques? E o que significa isso, filho?’
‘ Quer dizer que são mais do que bonitas, mamã!’

Tão vaidoso!!! 🙂

** Post escrito no dia 04.11.15, mas que ficou esquecido nos rascunhos. 

Das palavras (e músicas) que contam histórias, vida e transbordam comoção…

Jamie Lawson – Wasn’t Expecting That

It was only a smile but my heart it went wild
I wasn’t expecting that
Just a delicate kiss, anyone could’ve missed
I wasn’t expecting that

Did I misread the sign?
Your hand slipped into mine
I wasn’t expecting that
You spent the night in my bed,
You woke up and you said
“Well, I wasn’t expecting that”

I thought love wasn’t meant to last,
I thought you were just passing through
If I ever get the nerve to ask
What did I get right to deserve somebody like you?
I wasn’t expecting that
It was only a word, it was almost mis-heard
I wasn’t expecting that
But it came without fear,
A month turned into a year
I wasn’t expecting that

I thought love wasn’t meant to last,
Honey, I thought you were just passing through
If I ever get the nerve to ask
What did I get right to deserve somebody like you?
I wasn’t expecting that

Isn’t it strange how a life can be changed
In the flicker of the sweetest smile
We were married in spring
You know I wouldn’t change a thing
Without that innocent kiss, what a life I’d have missed

If you’d not took a chance on a little romance
When I wasn’t expecting that
Time doesn’t take long, three kids up and gone
I wasn’t expecting that
When the nurses they came, said it’s come back again
I wasn’t expecting that
Then you closed your eyes, you took my heart by surprise
I wasn’t expecting that!

O mundo aos olhos do meu filh♥…

*No consultório médico.

’Quando for mais crescido, vou ser médico. Sabias, Dr.ª A.?’
‘Olha que interessante!’, responde a médica, enquanto o observava e ele lhe roubava beijinhos. 🙂 A Dr. A. aproveita a deixa do mais pequeno e diz:
‘Sabes, Rodrigo, agora tens de ficar caladinho para eu te auscultar!” É assim que os médicos fazem.’
Fica calado por segundos (a pensar no assunto, certamente), mas as dúvidas são muitas e não o conseguem deixar nem quieto ou calado.

Depois de muita conversa, estávamos prontos para sair. Começou inesperadamente a chorar. Não queria ir embora e balbuciava entre soluços:
‘Tu não percebes, Dr.ª A., eu queria ficar contigo aqui a aprender a ser médico!’’

Levou tempo a sair dali! Mas, graças à Dr.A., lá viemos para casa!
Qualquer dia diz que está doente para poder lá voltar!

O meu amor pequenino quer aprender tudo muito rápido! ❤

Hoje é o dia da mulher…

… que me gerou e me fez gente…
… que me ensinou a ser e a sentir, sem que disso se apercebesse…
… que me mostrou que dar valor a todas as pessoas faz de nós pessoas melhores…
… que ainda hoje em dia acha que não fez tudo o que podia por nós (por mim e pelo meu irmão), quando na verdade deu-nos muito do que não teve, contra a opinião de vários ‘velhos do Restelo’…
… que ouvia, há 30 anos atrás, programas de rádio sobre parentalidade, educação, e temas pouco usuais, e hoje mais do que banais, como a homeopatia, a medicina tradicional chinesa ou as regras de etiqueta…
… que prefere ler sobre a vida do que sobre a vida dos outros…
… que soube e sabe encarar, com força e optimismo, grandes dificuldades que a vida a obrigou a enfrentar…
… a quem 4 (poucos) anos de estudo nunca impediram de ser maior e melhor que outros tantos que estudam a vida toda…
… que me diz que o universo nos dá tudo aquilo que pedirmos…
… com quem falo diariamente, salvo raras excepções…
… que é o meu porto de abrigo, o colo para onde corro, sempre que a vida me faz umas fintas…
… que me aceita tal como eu sou…
… que trata o meu marido como um filho, desde o primeiro dia…
… que sabe ser a avó que eu esperava para o meu bebé e mais ainda. Assistir ao amor dos dois é dos momentos mais lindos que se pode viver…

Hoje é o dia da mulher que é a melhor mãe, sogra e, AVÓ, do mundo… pelo menos do nosso mundo!!!

Escrevi este texto há 3 anos. Um texto que continua a definir a mulher da minha vida, a minha MÃE guerreira. Porque ela é tudo isto e tudo mais que não se consegue pôr por palavras. Amo-te muito! ❤

Parabéns Mãe!!! Hoje é o teu dia! ♥