O dia arranca com o blog de cara lavada…

Graças a todos vós, que escolheram aquela que seria também a minha primeira opção, o meu cantinho parece estar agora mais fresco, airoso, tranquilo e mais alegre. Obrigada aos que participaram nesta escolha. Espero que gostem do resultado. Nos próximos dias espero conseguir fazer algumas mudanças, que o wordpress permite e que podem torná-lo ainda mais giro. 😀 Deixem a vossa opinião, se quiserem!

A todos os amigos deste cantinho…

E se eu mudasse o template (tema, cor) do meu blog?

A verdade é que estou cansada do tom soturno do fundo do blog, ou então sou eu que estou a precisar de alguma tranquilidade e este cantinho pretende ser um reflexo de mim mesma. Mas estou numa indecisão incrível. Querem ajudar? 🙂

Vou colocar aqui alguns prints dos templates que o WordPress disponibiliza, e que eu gosto, e de seguida pedia-vos que clicassem sobre eles e fizessem a vossa escolha na sondagem da barra lateral direita do blog, sondagem que irá decorrer até amanhã. Pode ser?

Obrigada, Amiguinhos! 🙂

1.º

2.º

3.º

É a inquietação que faz o mundo mudar…

E no dia da manifestação da “Geração à Rasca” esta música parece-me a banda sonora perfeita.

Inquietação – José Mário Branco

A contas com o bem que tu me fazes
A contas com o mal por que passei
Com tantas guerras que travei
Já não sei fazer as pazes

São flores aos milhões entre ruínas
Meu peito feito campo de batalha
Cada alvorada que me ensinas
Oiro em pó que o vento espalha

Cá dentro inquietação, inquietação
É só inquietação, inquietação
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que está pra acontecer
Qualquer coisa que eu devia perceber
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Ensinas-me a fazer tantas perguntas
Na volta das respostas que eu trazia
Quantas promessas eu faria
Se as cumprisse todas juntas

Não largues esta mão no torvelinho
Pois falta sempre pouco para chegar
Eu não meti o barco ao mar
Pra ficar pelo caminho

Cá dentro inquietação, inquietação
É só inquietação, inquietação
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que está pra acontecer
Qualquer coisa que eu devia perceber
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Cá dentro inquietação, inquietação
É só inquietação, inquietação
Porquê, não sei
Mas sei
É que não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que está pra acontecer
Qualquer coisa que eu devia perceber
Porquê, não sei
Mas sei
É que não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que eu tenho que fazer
Qualquer coisa que eu devia resolver
Porquê, não sei
Mas sei
Que essa coisa é que é linda

Marisa Pinto deixa os Donna Maria…

A notícia apanhou-me de surpresa e confesso que o primeiro sentimento foi inevitavelmente de uma enorme tristeza. Por muito que se diga que não, habituamo-nos às coisas que gostamos, numa espécie de “boa” rotina que queremos apenas que perdure. Na verdade, é bem mais confortável. Mas a vida não se compadece com isso e oferece-nos avanços e recuos, mudanças e alguns abalos no  mundo dito perfeito. Precisamos de estar preparados para isso…

Marisa Pinto decidiu deixar os Donna Maria e iniciar uma carreira a solo.
Nada será como dantes…
O trio lisboeta fica agora, na minha opinião, sem a sua marca de distinção, não querendo evidentemente tirar o valor dos restantes. As letras de Miguel Majer são exemplo disso. Mas a Marisa tinha uma voz e interpretações invulgares, um carisma indiscutível, uma performance em palco única e verdadeira.  Acredito por tudo isso que rapidamente conquistará o merecido lugar no panorama musical português.

Resta-me agradecer aos Donna Maria cada música que criaram e todos os momentos maravilhosos que me proporcionaram, como o concerto memorável em S. João da Madeira.

Soube bem ter-vos por perto, Donna Maria…

Em jeito de preview, deixo um vídeo de Marisa Pinto a solo, aquando do espectáculo de comemoração dos 50 anos de carreira de Simone de Oliveira. Uma interpretação arrepiante do poema “Sete Letras” de Ary dos Santos! Um lindo modo de dizer SAUDADE.

“Sete Letras”
Ary dos Santos

Esta palavra saudade
sete letras de ternura
sete letras de ansiedade
e outras tantas de aventura.
Esta palavra saudade
a mais bela e mais pura
sete letras de verdade
e outras tantas de loucura.
Sete pedras, sete cardos, sete facas e punhais
sete beijos que são nardos
sete pecados mortais.
Esta palavra saudade
dói no corpo devagar
quando a gente se levanta
fica na cama a chorar.
Esta palavra saudade
sabe a sumo de limão
tem o travo de amargura
que nasceu do coração.
Ai! palavra amarga e doce
estrangulada na garganta
palavra como se fosse
o silêncio que se canta.
Meu cavalo imenso e louco
a galopar na distância
entre o muito e entre o pouco
que me afasta da infância.
Esta palavra saudade
é a mais prenha de pranto
como um filho que nascesse
por termos sofrido tanto.
Por termos sofrido tanto
é que a saudade está viva
são sete letras de encanto
sete letras por enquanto
enquanto a gente for viva.
Esta palavra saudade
sabe ao gosto das amoras
cada vez que tu não vens
cada vez que tu demoras.
Ai! palavra amarga e doce
debruçada na idade
palavra como se fosse
um resto de mocidade.
Marcada por sete letras
a ferro e a fogo no tempo
Ai! palavra dos poetas
que a disparam contra o vento.
Esta palavra saudade
dói no corpo devagar
quando a gente se levanta
fica na cama a chorar.
Por termos sofrido tanto
é que a saudade está viva
são sete letras de encanto
sete letras por enquanto
enquanto a gente for viva.

Porque é que gosto tanto de Grey’s Anatomy?

Por causa de cenas como esta… e juro que não é por se tratar de uma cena romântica, mas antes pelos diálogos inesperadamente brilhantes e pelas palavras ditas no momento certo, algo que transcende qualquer coisa que a imagem possa querer transparecer.

Seriously!

“Change. We don’t like it. We fear it, but we can’t stop it from coming. We either adapt to change or we get left behind. It hurts to grow, anybody who tells you it doesn’t is lying, but here’s the truth sometimes the more things change the more they stay the same. And sometimes, oh, sometimes change is good. Sometimes change is everything.”

(Grey’s Anatomy – S.4,Ep.1)

What a Wonderful World…

A banda sonora perfeita para um mundo, que se espera de mudança.

By Louis Armstrong
WHAT A WONDERFUL WORLD

I see trees of green, red roses too
I see them bloom for me and you
And I think to myself, what a wonderful world

I see skies of blue and clouds of white
The bright blessed day, the dark sacred night
And I think to myself, what a wonderful world

The colours of the rainbow, so pretty in the sky
Are also on the faces of people going by
I see friends shakin’ hands, sayin’ “How do you do?”
They’re really saying “I love you”

I hear babies cryin’, I watch them grow
They’ll learn much more than I’ll ever know
And I think to myself, what a wonderful world
Yes, I think to myself, what a wonderful world

Change has come…

O mundo assim espera.

president
Foto @ abcnews.go.com

4 de Novembro:
Barack Obama é eleito o 44.º Presidente dos Estados Unidos da América.