Coisas em que insisto acreditar…

Porque conheço gente que insiste em ajudar o próximo, num mundo que se distancia cada vez mais da magia e da força dos afectos. Porque teimo em rodear-me de gente que anseia por esta condição nas suas vidas. Porque existe gente obstinada, que não quer mudar o mundo todo, mas o mundo de alguém, e que é humana, atenta aos outros, proactiva, que pratica o bem sem querer nada em troca – que não seja a felicidade de ficar de coração cheio – e espalha a vontade de ser solidário. Este fim-de-semana isso aconteceu, sem grandes alaridos e foi maravilhoso ter feito parte desse pequeno (gigante) movimento. Não é minha intenção vangloriar-me do que fiz, porque fiz pouco, mas sim partilhar a alegria da entreajuda e contagiar alguém a fazer o mesmo. Porque isso, sim, seria maravilhoso e o mundo agradeceria. ❤

*Obrigada Pólo Norte!!!  ❤

Há muitas formas de explicar um assunto, expor uma causa, ajudar alguém…

Ora, o modo como a Pólo Norte falou aqui da situação do Rodrigo Patusco ultrapassa o trivial, o fácil, o expectável e revolve-nos as entranhas, dá um nó na garganta e faz-nos sentir fisgadas no coração e na alma. Se conseguirmos ficar indiferentes a estas vidas e à imagem que se segue, desculpem a minha franqueza, mas é possível que os vossos órgãos possam estar a precisar de manutenção.

Rodrigo com a mãe, Vanessa Patusco

Foto daqui

Repito:

cliquem aqui ou aqui e depois ajam da forma que puderem, para assim ajudarmos este menino e esta mãe a ultrapassar a dor e a angústia que vivem neste momento.

Será que a realidade é de facto silenciosa ou o ser humano prefere, por vezes, fazer ‘orelhas moucas’ ou ‘vista grossa’?

Foi esta a dúvida que assaltou a minha mente, ao ler este artigo da Laurinda Alves. Vejam o vídeo e tirem as vossas conclusões. Ah e partilhem, para que esta mensagem chegue a mais pessoas.

“Campanha de sensibilização destinada a alertar a população mundial para as inúmeras catástrofes e situações de emergência humanitária que, apesar de ocorrerem um pouco por todo o mundo, muitas vezes passam despercebidas à opinião pública, tais como a fome generalizada na África Austral, um sismo devastador no Tajiquistão e os vários surtos de doenças no Uganda.
Iniciativa da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) e da Direcção Geral de Ajuda Humanitária e da Protecção Civil da Comissão Europeia (ECHO).”  (texto daqui)

Post dedicado a todos que fazem o bem, sem esperar nada em troca…

… sim, porque não é preciso criar dias especiais para celebrar a bondade e os actos de solidariedade de tantos, sejam eles conhecidos ou anónimos. Esta frase de um tema da Jewel, que eu adoro e vive em mim, ilustra esse sentimento.

É hora de ajudar a Bia… porque não se pode ficar indiferente a este pedido de ajuda ♥

Emocionei-me há dias com este texto da Pólo Norte… palavras que me deixaram a pensar como a vida, afinal de contas, até nem é assim tão madrasta com a maior parte das pessoas que, por egoísmo ou por ignorância das desventuras alheias, se queixam por tudo e por nada. A verdade é que não se pode ficar indiferente a uma história como a da Bia, uma menina linda que está feliz porque a mãe tem um mano na barriga, talvez sem perceber muito bem que será esse irmão que lhe devolverá mais vida ainda. Porque a Bia tem leucemia!
A Pólo Norte trouxe ontem desenvolvimentos desta linda história e formas de todos ajudarmos. Por isso, ajudem, partilhem, passem a mensagem e todos juntos faremos a diferença. Fica aqui o texto para vos ajudar a ajudar!!!

Hoje, a propósito de uma mesma consulta que ambas tínhamos agendada, fui tomar café com a mãe da Bia no hospital. A Bia é a menina com leucemia de que vos falei aqui.
A mãe da Bia não me pediu nada nem eu queria pedir nada quando decidi contar a história da menina. Queria, tão só, partilhar convosco como por vezes nos centramos nos nossos problemas e no nosso umbiguismo e não nos damos ao trabalho de olhar para o lado e ver como há pessoas que nos dão lições de vida, sem se queixarem e sem auto-comiseração. Como podemos marcar a diferença se pensarmos macro e nos virmos como um todo, uma corrente de seres humanos interligados e que se podem ajudar com coisas simples. E queria, finalmente, explicar porque vou optar pelo Banco Público quando a minha filha nascer ao invés de pagar a um banco privado.
No entanto, recebi uma chuva de comentários e e-mails que me surpreendeu. Eu sei que o meu blog é moderadamente lido mas, porra, eu devo ser a blogger com mais sorte no tipo de clientela que frequenta aqui o estaminé. Vocês são todos fabulosos e generosos e eu não sei o que fiz para vos merecer. Mesmo.
Então, explicar à mãe da Bia que tinha amigas que a gostavam de ajudar foi complicado. É estranho explicar a alguém que “sabes, tenho um blog e as pessoas não me conhecem mas falei da tua história e querem ajudar-te!” soa meio weird. Mas a mãe da Bia não complicou e, comovida mas com a dignidade que lhe reconheci desde o primeiro dia, não nega a ajuda que lhe quiserem dar e que será, com toda a certeza, oportuna nesta altura.
Portanto, tenho o NIB do pai da menina que aqui disponibilizo, com a devida autorização: 0010 0000 2623 6280 0018 3 para todas as pessoas que me pediram o mesmo, para poderem dar uma contribuição monetária.
Tenho também a morada que posso disponibilizar a quem pretender enviar géneros. Mas, em todo o caso, talvez o melhor seja enviarem tudo para a minha morada que junto tudo num mega cabaz, fotografo, e entrego em mão à família. Que a partir de agora está, oficialmente, quadripolarizada!
Em breve mámen irá pintar a HK no quarto da menina, conforme foi seu pedido.
A mãe teve alta e está a descansar em casa agora, à espera que o novo bebé ganhe mais peso e lhe possa ser agendada a cesariana. Vai-se chamar Guilherme.
A Bia continua em tratamentos, uma semana por mês faz quimioterapia no IPO de Lisboa. Mas deviam conhecê-la e perceber a energia que ela tem. Uma lição de vida.
Ser dador de medula óssea é simples: basta dirigir-se a qualquer Centro de Histocompatibilidade do Sul, do Centro e do Norte e o processo é muito semelhante ao de uma simples doação de sangue. Mais informações aqui. Se eu conseguir que uma pessoa que seja ganhe coragem e se dirija a um destes sítios para se tornar dador, então, estes quase 3 anos de blog valeram a pena.
E agora percebo a história de “estar de esperanças”. Acho é que não se aplica só ao estado da gravidez. Porque, aprendi convosco uma coisa: quando a causa é maior estamos todos de esperanças.
Um bem-haja a todos.

* Eu doei as células do meu bebé ao Banco Público e continuo a achar a melhor opção. Esta história comprova isso mesmo:)

Saibam como ajudar a Madeira

Praça da Autonomia - Funchal (Maio 2006)

Praça da Autonomia - Funchal (Fevereiro 2010)

Foto de Miguel Correia daqui

Não há palavras que consigam descrever a tragédia que a Ilha da Madeira está a sofrer desde o passado Sábado, altura em que a força das águas engoliram literalmente alguns lindos recantos do “coração do atlântico”, tirou a vida a imensas pessoas e deixou inúmeras desalojadas. Tratou-se de uma luta titânica onde a natureza saiu vencedora. Eu estou devastada com as imagens que tenho visto nos últimos dias e com os relatos de amigos madeirenses, que dizem com pesar que “nada do que se vê na televisão se compara à real dimensão dos acontecimentos.” Eu estive na Madeira em 2006 e nem quero acreditar que a cor que tão a caracteriza tenha sido posta em causa.

Importa agora ajudar, da forma que cada um souber ou achar mais adequada. Aqui encontram algumas informações para o fazer e aqui vêem como os CTT também resolveram ajudar a Madeira, ao criarem um modo fácil e solidário de recolher bens essenciais. É uma iniciativa de louvar.

Ajudem, se puderem!

E do espectáculo “Hope for Haiti Now” resulta um CD de sucesso…

Foi brilhante o percurso deste espectáculo de solidariedade, desde a sua exibição até se tornar no primeiro CD digital a conseguir atingir o primeiro lugar na conhecida tabela de vendas Billboard 200. Os lucros ajudarão as vítimas da sismo no Haiti, através das acções das seguintes organizações:

Clinton Bush Haiti Fund
Oxfam America
Partners in Health
American Red Cross
UNICEF
United Nations World Food Programme
Yéle Haiti Foundation

Capa do CD "Hope for Haiti Now"

O alinhamento do CD “Hope for Haiti Now” é o seguinte:
1. Send Me An Angel – Alicia Keys
2. A Message 2010 – Coldplay
3. We Shall Overcome – Bruce Springsteen [foto]
4. Time To Love / Bridge Over Troubled Water – Stevie Wonder
5. I’ll Stand By You – Shakira (c/ The Roots)
6. Motherless Child – John Legend
7. Hard Times Come Again No More – Mary J. Blige (c/ The Roots)
8. Breathless – Taylor Swift
9. Lift Me Up – Christina Aguilera
10. Driven To Tears – Sting
11. Halo – Beyoncé
12. Lean On Me – Sheryl Crow, Keith Urban e Kid Rock
13. Like A Prayer – Madonna
14. Hallelujah – Justin Timberlake (c/ Matt Morris e Charlie Sexton)
15. Let It Be – Jennifer Hudson (c/ The Roots)
16. Many Rivers To Cross – Emeline Michel
17. Stranded (Haiti Mon Amour) – Jay-Z, Rihanna, Bono e The Edge) [versão ao vivo]
18. Alone And Forsaken – Neil Young e Dave Mathews
19. Rivers Of Babylon / Yele – Wyclef Jean
20. Stranded (Haiti Mon Amour) – Jay-Z, Rihanna, Bono e The Edge) [versão 1.0]

Saibam como contribuir para um Natal melhor e mais quentinho…

"Ajude-nos a distribuir calor neste Natal"

A campanha proposta pelo AKI, em parceria com a União das Misericórdias Portuguesas, é um dos muito exemplos de  solidariedade social, a que todos nos podemos associar. É um facto que no Natal o número de iniciativas aumenta e ainda bem, porque, apesar de muitos acharem que só no Natal se faz algo pelo outro, eu continuo a acreditar que todo o tipo de ajuda é sempre bem-vinda, seja em que altura for, e que esta época é muito difícil de passar sem amparo, atenção, ou uma palavra amiga.
“Ajude-nos a distribuir calor neste Natal” é o pedido a que urge responder, para que o Natal daqueles que precisam seja bem mais quentinho. Assim, pedem-se cobertores, mantas e roupa quentinha, que deverá ser entregue em qualquer loja AKI do país até dia 20 de Dezembro.

Se souberem de outras campanhas que queiram divulgar, podem fazê-lo aqui no blog.

Um minuto pode fazer a diferença…

Missão Infinita "Frozen Lisboa" - 03.03.09

"Frozen Lisboa" in Missão Infinita - 03.03.09

Foto @ cheiroapolvora.blogs.sapo.pt

Luís Castro e a Missão Infinita continuam a luta por um mundo melhor, desta vez através de um conceito inteligente, designado “Frozen Lisboa”. Ficar simbolicamente estáticos, parados no tempo durante um minuto é, sem dúvida, um modo sui generis de alertar as pessoas para a importância de um minuto do nosso tempo na diminuição do sofrimento de milhares de crianças, espalhadas por todo o mundo. Figuras públicas dos vários quadrantes ajudaram a espalhar a notícia.

“Naquele minuto em que nada fizemos:
20 crianças morreram por falta de cuidados básicos.
25 foram infectadas com o vírus da Sida.
250 mil tiveram uma arma na mão.
100 milhões e 700 mil não foram à escola.”
(palavras de Luís Castro)

Espreitem aqui o que aconteceu ontem em mais uma missão, que se quer infinita.

Se puderem, façam a diferença

na vida de alguém!

Missão Infinita…

… é o nome da ONG fundada pelo jornalista da RTP Luís Castro e alguns dos seus amigos, num grande gesto de altruísmo e solidariedade. Esta notícia abre-se como um presente de Natal, mas com a firme certeza que abraçará iniciativas que se irão estender aos restantes dias do ano. A missão vai precisar de ajuda, por isso estejam atentos.
Para mais informações, espreitem o blog do próprio em Cheiro a Pólvora.

* Adoro estes presentes de Natal!