Fazer o luto e sobreviver a uma vida virada do avesso…

Não se gosta de falar da morte, um assunto para muitos tabu, inexplicável, e, ao mesmo tempo, de sabor amargo e triste… talvez por ultrapassar as nossas acções, enquanto indivíduos. Contudo, a morte existe e acompanha a vida de todos, seja mais cedo ou mais tarde. Fazer o luto é o passo seguinte e é certamente a pior das obrigações do ser humano.
Ontem falou-se de perdas, de morte, do luto, de culpa e de como se sobrevive a uma vida virada do avesso no programa Grande Entrevista de Judite de Sousa. A entrevistada era Emília Agostinho, uma mãe que perdeu um filho de sete anos há 24 anos e também Presidente da Associação A Nossa Âncora, uma associação que ajuda pais em luto. E eu assisti do princípio ao fim, quase inerte tal a profundidade de tão delicado tema.

Deixo o link da entrevista aqui.

Site da Associação: www.anossaancora.pt/

A Morte

A morte vem de longe
Do fundo dos céus
Vem para os meus olhos
Virá para os teus
Desce das estrelas
Das brancas estrelas
As loucas estrelas
Trânsfugas de Deus
Chega impressentida
Nunca inesperada
Ela que é na vida
A grande esperada!
A desesperada
Do amor fratricida
Dos homens, ai! dos homens
Que matam a morte
Por medo da vida.

Vinicius de Moraes
Anúncios

Um pensamento sobre “Fazer o luto e sobreviver a uma vida virada do avesso…

  1. Pingback: Por Outras Palavras…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s