Da paternidade ou de como são lindos os momentos a dois #5

O acaso de uma foto relembrou-me esta rubrica, que já há muito não assinalava. Tenho pena, porque registos não faltam! Mas adiante.
Como comecei por dizer, estava a tirar-lhes uma foto, como faço tantas vezes, e tive um ‘flashback’ ou um ‘déjà vu’ (não sei que termo usar) e não descansei enquanto não resolvi o mistério. 🙂

Esta foi a foto que tirei:

R.
Neste post está a foto que pôs o meu cérebro em alvoroço. E como foi lindo e maravilhoso este ‘reencontro’! É nestas alturas que eu percebo porque tenho (ainda) este blog.

Acabei por juntar as duas fotos, numa composição ‘homemade’, mas que mostra como a curiosidade do pequenino continua, como as memórias são maravilhosas e, acima de tudo, como o tempo voa! ❤

ad

Eu sei, sou uma nostálgica! Mas sou tão feliz assim! ❤

Anúncios

*”É seres alma e sangue e vida em mim”…

Há 5 anos soube que estava grávida!
Há 5 anos entendi o significado deste *verso lindo de Florbela Espanca.

Serás sempre a maior dádiva da minha vida, meu amor! ♡♡♡


 Foto by Parallax Photography (editada por mim)

Hoje foi assim e foi maravilhoso…

Sou uma mulher de sorte! De uma imensa sorte!

páscoa

Dia do *Sr. Pai…

“Um pai é mesmo uma pessoa muito especial.
Capaz de se dobrar, desdobrar, encolher e esticar… um pai transforma-se, num passe de mágica, nos objetos mais incríveis.
Ou será que nunca repararam nos pais transformados que andam por aí?
Pais-cabides, pais-ambulâncias, pais-aviões, pais-sofás, pais-escadotes, pais-travões…
Basta abrir os olhos e observar.”

in ‘Pê de Pai’ *de Isabel Minhós Martins e Bernardo P. Carvalho
[Um livro lindo, que recomendo. Foi o presente de Natal do Rodrigo para o pai! ❤ ]

diadopai_15
*É estranho, admito, mas é deste modo que o mais pequeno chama pelo pai nos últimos tempos. Culpa de quem? Do próprio pai, está claro! De tanto usar a dita abreviatura, a criança não tem como fugir à imitação mais do que normal da idade! 🙂

O mundo aos olhos do meu filh♥…

desenho_rodrigo

* in “O desenho” de Cecília Meireles

Momentos bonitos a que me agarro em dias menos bons! Obrigada, meu amor! ❤

Doces gestos de Am♥r…

Longe vai o tempo em que receber presentes no Natal era algo importante, mas confesso, ainda assim, que continuo a perder-me de amores por aqueles mimos que são pensados e/ou feitos com carinho para mim. Falo dos pequenos gestos simbólicos*, que para mim são tudo. Conseguem imaginar, por isso, o estado em que fiquei, quando recebi este postal lindo do meu afilhado. A iniciativa da Milka é muito bonita, mas quando nos calha a nós, meus amigos, sabe a AMOR! Garanto-vos! ♥ Sentir que alguém que amamos quer partilhar connosco algo tão doce e ‘valioso’, como o último pedaço do seu chocolate, é uma belíssima metáfora para o que mais procuro encontrar no meu mundo de afectos.

Orgulho-me das minhas lágrimas de madrinha babada e emocionada, mas sobretudo, de uma vez mais perceber como é valiosa esta missão que me confiaram há 12 anos atrás. 12 anos de um amor e cumplicidade inigualáveis!

Obrigada, João! Obrigada, meu ♥!

Natal'14

*As letras de madeira da palavra ‘NATAL’ foram pintadas também por ele, pela minha princesa (e também afilhada) Mi e pela minha mana do coração! E estão lindas!!! ❤

>>15 de Setembro de 2014<<

Rodrigo_primeirodia

Começou hoje (oficialmente) o percurso escolar do meu pequenino. Saiu de casa muito feliz, porque já sabia que ia para a sua ‘escola bonita’ (o nome que ele lhe deu). Conhecera-a na semana anterior e por lá ficara diariamente, durante algumas horas, a reconhecer o espaço, a conhecer as pessoas, os novos amigos. Todos os dias entrava e saía da ‘escola bonita’ com um sorriso gigante. Um mundo novo, que para já se fazia apenas de brincadeiras.

Hoje já é mais a sério. Continuará a haver brincadeira, mas com as regras necessárias.

Eu estou muito feliz! O coração está só mais apertadinho (sem dramas, mas com um ‘deixar voar’ ainda um pouco custoso), neste primeiro dia do resto da vida do meu pequenino!

Que sejas muito feliz nesta nova aventura, meu amor maior! ♥

Gostava de conseguir dizer…

… que hoje fui à praia (a primeira vez este ano) e que vim de lá com a energia redobrada. Mentira!!! Hoje fui à praia e vim de lá para cima de cansada. Meu Deus, como odeio areia, vento e água gelada! 
Valeu apenas pela alegria de meu amor pequenino, que adorou e se divertiu tanto! ❤

Torreira_praia

O mundo aos olhos do meu filh♥…

Está cada vez mais atento este meu amor pequenino. Já ‘me lê’ só de olhar para mim. Apercebo-me do seu lado cada vez mais sensível e atencioso, que me deixa num imenso orgulho.

– ‘Tás tite’, mamã?
– Estou, filho! Mas isto passa já. (opto por não esconder as minhas fragilidades, até porque ele tem uma mãe, não a supermulher)

Deixa-me sozinha. Fecha a porta devagarinho, quase como a proteger-me do barulho, e ouço-o a correr para o pai. Fico a ouvir a conversa.

– A mamã ’tá tite’!
– É verdade! A mamã está triste!

Corre novamente para a porta, reabre-a com muito cuidado e vem brincar com um dos seus carros na estrada que os meus braços lhe abre. É este o mimo que o meu pequenino tem para me dar e é tão bom!
E assim se fica menos ‘tite’. ❤

 

O mundo aos olhos do meu filh♥…

Dou conta que acordou. Aliás, ele tem um jeito bem característico de dizer que já são horas de se levantar. Entrei no quarto, ainda com pouca luz, e ele pergunta de imediato (sabendo bem qual vai ser a resposta):

‘Mãe, é tu?’
‘Sim, filho, sou eu! Bom dia meu amor!’
‘Bom djia!’ (sim, é mesmo assim que ele diz)
Abro a persiana, como de costume e ele grita tristíssimo:
‘Mãe, o xol num tá a biar! Oh, mãe!’ (O sol não está a brilhar!)

Percebi o desencanto nos olhos dele. Coloquei-o no meu colo e levei-o à janela. Ele olhava para todo o lado. Talvez tivesse ainda uma réstia de esperança de encontrar o sol escondido num qualquer canto do céu. Não deixei que ficasse ainda mais triste.

‘Não há sol, mas há outras coisas muito bonitas lá fora. Olha a árvore, aquele passarinho ali, as nuvens…’
‘Escuias’, observa.
‘Sim, as nuvens estão escuras, mas são bonitas, não achas?’
‘Xim!’, diz o meu pequenino já mais conformado com as cores do dia de hoje.
‘Vamos brincar? O que queres fazer?
‘Ké fajer um deseio!’ (quero fazer um desenho)

Desenha o céu, pede uma árvore e rabisca-a de ‘maxás’; pede uma ‘fior’ (flor) e, por fim, pede um ‘xol tite’ (um sol triste). É verdade, filho, o sol nem sempre brilha, mas está lá sempre (ainda que triste)! Ainda há quem diga que as crianças não percebem muito bem o que dizemos!

Sol_triste