Day 11 | Detail (Detalhe)

detalhe

Ainda Veneza! 🙂

Estes ‘rebuçados’ em vidro murano fazem parte das memórias deste lugar encantado! 

Anúncios

Day 10 | A Place (Um lugar)

Veneza

Fui muito feliz em Veneza! 

Dezembro de 2008. 4 amigos. 8 dias e 3 cidades a visitar em Itália: Veneza, Florença e Milão. Soube a pouco!
Adorei esta viagem, mas Veneza ficou  para sempre no meu coração, como já disse aqui. Tornou-se num daqueles sítios que voltaria (e voltarei de certeza) a visitar. Acho que nunca me cansarei. A verdade é que tenciono lá voltar no tempo quente, porque certamente será uma nova e diferente experiência!

Aqui fui feliz…

Hotel & Spa Alfândega da Fé

Imagens de dois dias fantásticos no Hotel & Spa Alfândega da Fé, um local deslumbrante a 1100 metros de altitude em plena Serra de Bornes. A vista – quase irreal – é de cortar a respiração.  A verdade é que o silêncio parece viver ali, na imensidão de uma paisagem cheia de cor. Rever as fotos trouxe de volta a sensação de como fui feliz nesses dias. E como sabe bem voltar lá (sem sair de casa). 🙂

Imagens de Verão – Lisboa (IV)

Por ruas e praças de Lisboa - Agosto'10

Lisboa

Lisboa com suas casas
De várias cores,
Lisboa com suas casas
De várias cores,
Lisboa com suas casas
De várias cores…
À força de diferente, isto é monótono.
Como à força de sentir, fico só a pensar.

Se, de noite, deitado mas desperto,
Na lucidez inútil de não poder dormir,
Quero imaginar qualquer coisa
E surge sempre outra (porque há sono,
E, porque há sono, um bocado de sonho),
Quero alongar a vista com que imagino
Por grandes palmares fantásticos,
Mas não vejo mais,
Contra uma espécie de lado de dentro de pálpebras,
Que Lisboa com suas casas
De várias cores.

Sorrio, porque, aqui, deitado, é outra coisa.
A força de monótono, é diferente.
E, à força de ser eu, durmo e esqueço que existo.

Fica só, sem mim, que esqueci porque durmo,
Lisboa com suas casas
De várias cores.

Álvaro de Campos

Imagens de Verão – Lisboa (III)

A subida ao Castelo de S. Jorge pode ser feita a pé, mas o melhor é fazer o percurso no carismático ’28’, o eléctrico que serpenteia a maior colina de Lisboa, que parece ter sido desenhada precisamente à sua medida. E, assim, comodamente observam-se os traços da cidade e a azáfama das pessoas que povoam estas ruas históricas.

Eléctrico 28 (Agosto'10)

O ’28’ deixa-nos no Miradouro das Portas do Sol, onde a vista é deslumbrante, apesar de se notar que a construção não pára, a julgar pela quantidade de gruas que se vislumbram e incomodam as fotos dos turistas.

Vista de Lisboa - Miradouro das Portas do Sol (Agosto'10)

Num instante se chega ao Castelo de São Jorge, a janela de onde melhor se consegue admirar a cidade de Lisboa e o Rio Tejo. Num só olhar abarca-se a imensidão das águas, pontuada pela estátua do Cristo-Rei, a Ponte 25 de Abril, o Elevador de Santa Justa, o Terreiro do Paço, a Praça da Figueira…

Vista do Castelo de S. Jorge (Agosto'10)

Muralhas do Castelo São Jorge (Agosto'10)

Banco de pedra com a inscrição do poema "Lisboa"de Sophia de Mello Breyner

LISBOA
Digo:
“Lisboa”
Quando atravesso – vinda do sul – o rio
E a cidade a que chego abre-se como se do meu nome nascesse
Abre-se e ergue-se em sua extensão nocturna
Em seu longo luzir de azul e rio
Em seu corpo amontoado de colinas –
Vejo-a melhor porque a digo
Tudo se mostra melhor porque digo
Tudo mostra melhor o seu estar e a sua carência
Porque digo
Lisboa com seu nome de ser e de não-ser
Com seus meandros de espanto insónia e lata
E seu secreto rebrilhar de coisa de teatro
Seu conivente sorrir de intriga e máscara
Enquanto o largo mar a Ocidente se dilata
Lisboa oscilando como uma grande barca
Lisboa cruelmente construída ao longo da sua própria ausência
Digo o nome da cidade
– Digo para ver

Sophia de Mello Breyner Andresen

Castelo de São Jorge - Vista do topo do Elevador de Santa Justa (Agosto'10)

Imagens de Verão – Lisboa (I)

“Ai Lisboa estendida sobre o rio
Ai Lisboa de mil amores perdidos
Só de quem puder sentir
Que há um mar em ti escondido”

Mafalda Veiga

MOSTEIRO DOS JERÓNIMOS

Vista do Mosteiro dos Jerónimos

Túmulo de Luís de Camões @ Igreja Sta. Maria Belém

Claustros do Mosteiro dos Jerónimos

PADRÃO DOS DESCOBRIMENTOS

Padrão dos Descobrimentos

TORRE DE BELÉM

Torre de Belém

Vou ali e já venho…

Elevador da Glória - Lisboa

Foto tirada daqui

Vontade de voar*

Mutts

* ser mais livre, positiva, menos impaciente e deixar-me levar pelo destino. Tivesse eu ‘força’ para sair de casa…

Cá está uma óptima ideia…

Mutts

Mais um bebé na minha vida…

Foto @ Veneza (Dezembro'08)

No Sábado passado nasceu o meu afilhado, um bebé lindo, amoroso e saudável. Não podia estar mais feliz! 🙂
Não deixo aqui uma fotografia do ‘protagonista’, porque prefiro manter a privacidade, que sempre procurei criar neste meu canto. Deixo antes o registo do que parece ser uma tradição italiana, algo que tive oportunidade de observar numa viagem a Veneza, e que acho simplesmente ternurenta. Quando nasce um bebé, coloca-se na porta um símbolo com o seu nome e data de nascimento. Neste caso, lê-se nas fitas “Matteo é nato – 27.11.2008”Não é lindo?