Não consigo pensar (e falar) em ti no passado…

2 meses sem ti…

E não há forma de me convencer que tu não estás cá, Amiga! 😦
Quando penso em ti (e penso tanto e tantas vezes) sinto durante segundos, ou fracções de segundo, uma fugaz alegria, que rapidamente se dissipa e se transforma num enorme vazio. Porque acho que te vou encontrar, se não pessoalmente, pelo menos do outro lado da linha. E estremeço! Estremeço sempre, como quando se acorda de um sonho mau. Porque não estás cá! A minha mente, racional e sem grande piedade, grita essa verdade que o coração tenta contrariar! 😦
Não ouço a tua voz. Não ouço a tua querida e hilariante ‘resmunguice’!
Não pomos a conversa em dia em diálogos simultâneos, que só nós compreendemos, tantas vezes interrompidos pela falta de tempo ou pelas macaquices, birras e pedidos dos nossos pequenos tesouros.

NÃO ESTÁS CÁ! Essa é a minha realidade. Esse é o meu presente do indicativo.
Estou a fazer com que o ‘teu’ ‘Carpe Diem’  me ajude a saber viver com a tua ausência! Se vai resultar? Não sei!

Adoro-te! ❤ Sempre, para sempre!

Anúncios

Uma imagem, uma música… e a certeza que ‘amanhã é sempre longe demais’

Foto @ Facebook


‘Amanhã é sempre longe demais’ – Rádio Macau (1990)

Da música que nos transporta para (as nossas) memórias…

Hoje foi um desses dias. Estava a conduzir, quando, sem contar, comecei a escutar ’In the Air tonight’ de Phil Collins. Em menos de nada, dei por mim a lembrar-me das longas conversas sobre música com os amigos, pela noite dentro. Sim, conversávamos sobre música! 🙂 Veio também à memória a nostalgia das velhinhas cassetes, das gravações caseiras e de as escutar com tanto entusiasmo!
Este tema é simplesmente genial! Passa uma mensagem de raiva, de dor e de perda, numa cadência taciturna que nos leva para um um dos melhores solos de bateria, na minha opinião. Gosto tantinho’ , como diz a minha prima Vera (é verdade, eu tenho uma prima com esse nome).
Ai, como é bom ter saudades daqueles tempos. ❤

Hoje é o dia da mulher…

… que me gerou e me fez gente…
… que me ensinou a ser e a sentir, sem que disso se apercebesse…
… que me mostrou que dar valor a todas as pessoas faz de nós pessoas melhores…
… que ainda hoje em dia acha que não fez tudo o que podia por nós (por mim e pelo meu irmão), quando na verdade deu-nos muito do que não teve, contra a opinião de vários ‘velhos do Restelo’…
… que ouvia, há 30 anos atrás, programas de rádio sobre parentalidade, educação, e temas pouco usuais, e hoje mais do que banais, como a homeopatia, a medicina tradicional chinesa ou as regras de etiqueta…
… que prefere ler sobre a vida do que sobre a vida dos outros…
… que soube e sabe encarar, com força e optimismo, grandes dificuldades que a vida a obrigou a enfrentar…
… a quem 4 (poucos) anos de estudo nunca impediram de ser maior e melhor que outros tantos que estudam a vida toda…
… que me diz que o universo nos dá tudo aquilo que pedirmos…
… com quem falo diariamente, salvo raras excepções…
… que é o meu porto de abrigo, o colo para onde corro, sempre que a vida me faz umas fintas…
… que me aceita tal como eu sou…
… que trata o meu marido como um filho, desde o primeiro dia…
… que sabe ser a avó que eu esperava para o meu bebé e mais ainda. Assistir ao amor dos dois é dos momentos mais lindos que se pode viver…

Hoje é o dia da mulher que é a melhor mãe, sogra e, AVÓ, do mundo… pelo menos do nosso mundo!!!

Escrevi este texto há 3 anos. Um texto que continua a definir a mulher da minha vida, a minha MÃE guerreira. Porque ela é tudo isto e tudo mais que não se consegue pôr por palavras. Amo-te muito! ❤

Parabéns Mãe!!! Hoje é o teu dia! ♥

Hoje ‘encontrei-te’ aqui…


‘Verdes Anos’ – Carlos Paredes

Há coisas que não se explicam. Acontecem! Existem! E isso basta!

A música ‘foge’ um pouco ao meu gosto musical, é verdade, apesar de gostar de alguma música reggae. Best Friend’ de Richie Campbell protagonizou, ainda assim e casualmente, o fim de um longo dia de importantes conquistas pessoais. Primeiro estranhei, mas depois quis a dita entranhar-se. Acresce ainda o facto do tema me fazer lembrar a minha Li, que foi uma das pessoas que mais me apoiou (como sempre, aliás) e, acima de tudo,  porque ela é a minha ‘Best Friend’ :).


Best Friend’ de Richie Campbell

Por ti…

Por ti digo aqui que Sou do Benfica! E está dito! Não tenho qualquer problema com isso, mas não é assunto que me tenha levado alguma vez a escrever. Até hoje!
Por ti abro esta excepção. ❤
Por ti falo aqui de futebol, sem ser da nossa selecção, um amor comum a quem é português.
Por ti revelo que sou benfiquista por tua causa. Sim, por tua causa, pois apesar de raramente ver um jogo, de não saber o nome dos jogadores, de nunca saber das tricas que fazem as jornadas, eu não saberia ser outra coisa, que não ser pelo Benfica e do Benfica. Porque tu és Benfica!
Por ti abro os comentários aos apupos, às vozes discordantes, àquela lengalenga que todos papagueiam, quando o coração tem outro ‘dono’.
Por ti abro a excepção, porque é por amor que o faço.
Por ti e por nós desejo que para o ano possamos cantar o hino juntos, mesmo que o Glorioso (como tu sempre o chamas) não seja campeão. Porque, por ti, eu sou capaz de tudo, até de abrir esta excepção.

Daqui a 20 anos vais lembrar-te deste dia…

Nessa altura, o teu afilhado terá 23 anos e achará o máximo que relembremos a história do dia em que completaste 45 anos. Contar-lhe-emos que te cantou uns parabéns bem afinados, durante a sua bela banhoca e pelo telemóvel. Não viste, bem sei, mas eu descrevo para memória futura. Apresentou-se todo ensaboado nesse palco improvisado, de chuveiro de mão a servir de microfone, comme il faut, a cantar ‘para a menina… madrinha, uma salva de palmas’. Não faltaram as palmas cheias de espuma a voar por toda a casa de banho e muitos beijinhos repenicados (no telemóvel, claro, que era onde tu estavas 🙂 ). Foi o melhor que te podemos oferecer em família! E foi tão bonito!

O amor verdadeiro vive-se assim, mesmo na distância que se impõe, mas que nós encurtamos da maneira que melhor sabemos e podemos. Estamos sempre perto uns dos outros e fazemos tudo uns pelos outros. Assim é connosco! E não fosse a falta que fazem os abraços apertados, o som das gargalhadas, a maravilha de poder ver o crescimento dos nossos mais pequenos, tudo seria mais fácil (e sei que falo pelas duas). Não existe NADA que consiga substituir estes momentos, apesar da ajuda do telefone, da internet, ou do Skype. Mesmo assim acho que sabemos como é bom sermos tão felizes juntos! ❤

‘Sisters by Heart’ by Willow Tree

Parabéns, minha querida Amiga!
Parabéns, ‘minha pessoa’!
Parabéns, minha mana do craçã!

Amo-te muito! Sempre, para sempre!

♥ ♥ ♥

O mundo aos olhos do meu filh♥…

Na sala a contar os legos.

Aprendeu sozinho a contar até 10, apesar de se enganar de vez em quando. Desta vez ouço-o a passar a barreira dos dez e fico quieta (babada) a escutar:
‘Onze, doze, teze, catoze, quinze, desseis, dessete, dessoito, denove e, tcharan, dedez!’
Olha para mim a sorrir, todo contente por ter conseguido. Bato palmas, dou-lhe os parabéns e aproveito para corrigir o delicioso e perspicaz ‘dedez’:
‘Diz-se vinte e não ‘dedez’, Rodrigo!’
‘Sim?’ anui, ainda que meio desconfiado por tal estranha lógica.

Pego na máquina para filmar a nova contagem. Fico ali à espera que ele diga aquela preciosidade de novo, a torcer para que ele se engane (mãe maluca, eu sei).
‘Onze, doze, teze, catoze, quinze, desseis, dessete, dessoito, denove, vinte!’

E nunca mais disse ‘dedez’. Nunca mais! 🙂

O mundo aos olhos do meu filh♥…

7.45h. Ouço-o perto do meu quarto…

‘Mamã, onde estás?’
‘No meu quarto, filho!’
Entra. Liga a luz do candeeiro e salta para a minha cama.
‘Onde está o papá?’
‘O pai saiu para comprar pão. Mas volta já.
‘Onde, mamã? Ao ‘senhor mercado’?

Dou-lhe um abraço gigante, enquanto me rio com o que acabei de ouvir. ❤