O coração não me deixa escrever…

… talvez porque, nada do que eu possa dizer agora, serene a dor que o tomou de assalto.
Precisa de tempo.
Precisa de silêncio.
Precisa (voltar a) perceber que a palavra morte também existe, ainda que a queira esconder.

Saudades tuas, Amiga! ❤

 

Anúncios

Imagens da alma…

Grata pelas palavras, querida Sofia. Hoje, mais do que nunca! ❤


Imagem @ Às nove no meu blog

Um ano negro para a cultura…

mutts_prince

Prince deixa-nos. A cultura fica mais pobre!

Da música que nos transporta para (as nossas) memórias…

Hoje foi um desses dias. Estava a conduzir, quando, sem contar, comecei a escutar ’In the Air tonight’ de Phil Collins. Em menos de nada, dei por mim a lembrar-me das longas conversas sobre música com os amigos, pela noite dentro. Sim, conversávamos sobre música! 🙂 Veio também à memória a nostalgia das velhinhas cassetes, das gravações caseiras e de as escutar com tanto entusiasmo!
Este tema é simplesmente genial! Passa uma mensagem de raiva, de dor e de perda, numa cadência taciturna que nos leva para um um dos melhores solos de bateria, na minha opinião. Gosto tantinho’ , como diz a minha prima Vera (é verdade, eu tenho uma prima com esse nome).
Ai, como é bom ter saudades daqueles tempos. ❤

O mundo aos olhos do meu filh♥…

*No caminho para a escola

[Alguma confusão nas ruas devido a obras e a carros mal-estacionados, que atrapalham imenso o trânsito. A perceber a minha dificuldade em entrar na via principal, um senhor muito simpático ajuda-me.]

’O que disse o senhor, mamã?’, pergunta curioso.
‘O senhor não falou, Rodrigo! Disse só para eu avançar.’
‘Então se disse, falou! Não é assim?’
Bem-visto, realmente! E explico:
‘O senhor ‘falou’ com gestos e, mesmo sem falar, a mamã percebeu! 
Por exemplo, quando olho para ti e abro os braços, tu percebes logo que te estou a pedir um abraço, não é?’
’Ah, já percebi, mamã!’

Nem um minuto depois, pergunta:
‘Como se chama o senhor, mamã?’
‘Não sei, filho! Não o conheço.’
‘’Deve ser o Senhor Silêncio!’, responde com toda a convicção!

Estas associações são uma delícia, só vos digo!

 

 

*’What the world needs now is love, sweet love’…

Foi esta frase que ecoou em mim, assim que vi este vídeo. 🙂
Que tudo gira em torno do amor, nas suas  imensas  e maravilhosas variantes, e que este pode chegar de onde menos se espera!
Sabemos bem como o mundo está sedento deste precioso elemento. ❤ A música dá o mote!


Britain’s Got Talent 2016

* Frase deste tema lindo de Burt Bacharach.

Da paternidade ou de como são lindos os momentos a dois #5

O acaso de uma foto relembrou-me esta rubrica, que já há muito não assinalava. Tenho pena, porque registos não faltam! Mas adiante.
Como comecei por dizer, estava a tirar-lhes uma foto, como faço tantas vezes, e tive um ‘flashback’ ou um ‘déjà vu’ (não sei que termo usar) e não descansei enquanto não resolvi o mistério. 🙂

Esta foi a foto que tirei:

R.
Neste post está a foto que pôs o meu cérebro em alvoroço. E como foi lindo e maravilhoso este ‘reencontro’! É nestas alturas que eu percebo porque tenho (ainda) este blog.

Acabei por juntar as duas fotos, numa composição ‘homemade’, mas que mostra como a curiosidade do pequenino continua, como as memórias são maravilhosas e, acima de tudo, como o tempo voa! ❤

ad

Eu sei, sou uma nostálgica! Mas sou tão feliz assim! ❤

Sinais dos tempos #5

Vídeo aqui

 

*”É seres alma e sangue e vida em mim”…

Há 5 anos soube que estava grávida!
Há 5 anos entendi o significado deste *verso lindo de Florbela Espanca.

Serás sempre a maior dádiva da minha vida, meu amor! ♡♡♡


 Foto by Parallax Photography (editada por mim)

O mais importante é o (meu) caminho…

Eu adoro Anatomia de Grey, desde o primeiro episódio! Ora com episódios maravilhosos, ora com outros menos conseguidos, a verdade é que gravei na minha memória momentos, situações, frases que dificilmente esquecerei. E é isso que mais importa, quando gosto de alguma coisa. Perceber o que posso guardar para, se possível, me ajudar no meu crescimento pessoal.
Hoje recorro a estas palavras, que tão bem retratam o meu estado emocional dos últimos tempos.

“They take pictures of mountain climbers at the top of a mountain. They’re smiling, ecstatic, triumphant. They don’t take pictures along the way cos who wants to remember the rest of it. We push ourselves because we have to, not because we like it. The relentless climb, the pain and anguish of taking it to the next level. Nobody takes pictures of that. Nobody wants to remember. We just wanna remember the view from the top. The breathtaking moment at the edge of the world. That’s what keeps us climbing. And it’s worth the pain. That’s the crazy part. It’s worth anything.”

Grey’s Anatomy (S06,Ep.17)

Alegrias ou tristezas, vitórias ou derrotas… todas fazem parte desta montanha russa que é a vida. O que nem sempre se sabe, porque nem sempre nos questionam, é como foi o trajecto, como estivemos pelo caminho. As dores, as desventuras, ou as conquistas de cada um, por vezes sofridas, parecem ser para muitos, e, na maioria das vezes, pouco extraordinárias e aparentemente suportáveis.
No entanto, aquele lugar “onde só chega quem não tem medo de naufragar” é de quem o conquista. Dou por mim a perceber que o mais importante já não é ser compreendida, já não é saber se sou aceite ou se se conseguem colocar no meu lugar. Porque o mais importante é o meu caminho, a pessoa que sou, a verdade que me acompanha. A minha verdade!

Ainda tenho um longo caminho a percorrer. O meu caminho.